Rita

terça-feira, 28 de junho de 2011


Rita havia anos que permanecia adormecida para o amor. Diante das decepções rotineiras de um casamento falido, sem muita vontade própria, com uma enorme tendência ao isolamento. Seguia sua vida, fazendo de sua rotina momentos proveitosos de pensamentos insanos e nessas horas se deleitava....Horas essas dedicadas única e exclusivamente a ela, ali ninguem palpitava, e tudo era permitido e parecia real.Sentada na porta de sua casa com o pessamento envolto nos seus sonhos,alguem passa e chega chamar sua atenção tamanha compostura e elegância... aquele molejo no caminhar... ergueu os olhos e a cumprimentou e seguiu seu caminho sem olhar pra trás.
Rita continuou ali pensativa.Aquele senhor não saira mais do seu pensamento. E então todas as terças Rita o esperava passar. Um dia ele não apareceu..Rita pensativa...não tinha como procurá-lo pois nada sabia sobre ele. Só lhe restou continuar sonhando. E sonhando estava, quando alguem chegou e tapou-lhe os olhos.Apalpou aquelas mãos de dedos compridos e frios, pois ventava muito e o nervoso tomava conta do seu coração. Retirou suas mãos devagar e devagar abriu um sorriso que até hoje é marca registrada no seu rosto.E nunca mais se separaram.

1 comentários:

ValCruz disse...

Nossa! Isso é que é um final feliz!! Adorei.

Beijos minha querida.

Postar um comentário